As 10 autobiografias menos recomendadas para você ler

ANÚNCIO

As autobiografias, geralmente, são histórias que são contadas pelo próprio narrador. Ou seja, os escritores dizem, falam e escrevem sobre os momentos que viveram, que pode ser um jogo de futebol, uma guerra, uma prisão, uma briga ou qualquer área da vida. 

Agora, escolher uma autobiografia ruim pode fazer você desanimar de continuar lendo livros desse gênero no futuro. Portanto, fomos atrás de um texto que tem um viés diferente do que você está acostumado: nós vamos mencionar aqui as autobiografias para você NÃO ler. 

ANÚNCIO
As 10 autobiografias menos recomendadas para você ler
Foto: (reprodução/internet)

10 – Minha Breve História (Stephen Hawking)

É sério, a gente não quer causar polêmica aqui, ok? No entanto, esse é considerado um dos melhores livros do mundo para muita gente, só que pode não ser para você e já explicamos os motivos para isso. Antes disso, saiba que é um livro de 144 páginas, de 2013 e que custa R$ 21.

As 10 autobiografias menos recomendadas para você ler
Foto: (reprodução/internet)

No site da Amazon há ao menos 3 comentários super negativos sobre ele. E nós vamos trazer aqui as principais expressões: “livro sem emoção”, “muito cálculo matemático”, “muito descritivo”, “ciência, astros, universo de modo que só cientistas entendem”. 

Ou seja, a grande reclamação dessas pessoas é que se no começo tem a história do autor, que é muito interessante, após isso ele só fala sobre “coisas cientificas”. E se você não gosta desse tipo de assunto, definitivamente, não é um bom livro para você. 

ANÚNCIO

9 – O livro de Jô (Jô Soares)

Apesar de ter assinatura dele, muitos leitores garantem que não é o Jô que escreveu. Em entrevistas, Jô Soares diz que é um livro de memórias e bastidores. Ele tem mais de 500 páginas e é de 2017. Mas, por que pode ser ruim para você? A gente conta agora mesmo.

As 10 autobiografias menos recomendadas para você ler
Foto: (reprodução/internet)

Já nesse caso, se você é brasileiro, pode se surpreender ainda mais. Mas, olhe só o que disse um leitor brasileiro que se diz fã do Jô: “li todos os livros do Jô. Esse é o mais fraco e nem parece que foi escrito por ele”. E completa: “texto monótono, que não recomendaria”. 

E tem mais comentários: “livro para a alta sociedade”, “não consegui passar de um terço”, “decepcionante”, “esperava mais”, “não consegui terminar a leitura”. Bom, e se quer saber mais, considere que mais de 15% dos leitores, na Amazon, negativaram o conteúdo.

8 – Inquebrantable: Mi Historia, A Mi Manera (Jenni Rivera)

Um dos motivos pelos quais você pode não gostar desse livro é que ele está sendo vendido na Amazon por incríveis R$ 2.690. Acredite se quiser. E ainda que seja um best seller do New York Times, a autobiografia da cantora mexicana-americana tem muitas críticas. 

As 10 autobiografias menos recomendadas para você ler
Foto: (reprodução/internet)

Na Amazon, são pelo menos uns 10 comentários negativos, sendo a maioria de leitores internacionais. E se a gente pode usar um único exemplo, segue: “é um livro que cai na vulgaridade, cenas que difamam pessoas próximas, um livro muito baixo, chato, vulgar”. 

Por outro lado, há também pessoas que elogiaram o livro. Especialmente, ao afirmar que a história de luta da autora é incrível e emocionante. Bom, de todo modo, se você não gosta de uma linguagem direta e nem obscena (e nem de pagar caro) talvez seja melhor pular esse livro.

7 – Presidente Barack Obama (David Blum)

Não é bem uma autobiografia, mas conta muito do ex-presidente dos Estados Unidos. A entrevista é do próprio Kindle Singles e conta sobre a mudança de cultura, o sonho americano e muito mais. São apenas 15 páginas.

As 10 autobiografias menos recomendadas para você ler
Foto: (reprodução/internet)

Então, ao que tudo indica é uma ótima leitura, certo? Depende. E depende unicamente de um fator, que é a tradução. Entenda. 

A grande desse livro está no fato de que a tradução não é boa. “Cheia de erros, de péssima qualidade”. Outro comentário também trouxe a tona essa questão, ao afirmar que “o texto é ilegível”. Sendo assim, a obra não é ruim, se você ler no idioma original, ok?

6 – Depois a louca sou eu (Tati Bernardi)

O livro é recomendado, mas tem comentários ruins, do tipo: “para quem sofre de ansiedade, o livro é um gatilho”. Bem, o livro é de 2016, tem 144 páginas e foi muito aguardado pelos fãs da Tati Bernardi. Alguns, porém, se decepcionaram. 

As 10 autobiografias menos recomendadas para você ler
Foto: (reprodução/internet)

Esse livro da brasileira Tati é bem dividido. Ao menos, entre a crítica. A maioria deu boa nota, sim. Mas, mais de 30% não recomenda totalmente a obra. E nós fomos atrás dos comentários para tentar descobrir os motivos disso. Encontramos boas respostas, na verdade. 

E vamos resumir todos eles em um único comentário, que é bem recente, de abril desse ano e diz: “a leitura é bem arrastada e eu não consegui terminar. Esperava mais. A descrição do livro é ótima. Mas, me decepcionei. A forma que a autora fala é cansativo demais”. 

5 – De cu pra lua (Nelson Motta)

Talvez você ache o título grotesco demais. E saiba que muita gente também achou. Outra coisa é que a biografia foi considerada “fundamental para a construção da música popular brasileira”. Mas, nem por isso, o livro deixou de receber críticas. 

As 10 autobiografias menos recomendadas para você ler
Foto: (reprodução/internet)

E para quem achou que uma grande e histórica personalidade do Brasil não receberia críticas pelo livro que lançou, é melhor ver alguns comentários de Nelson Mota. Primeiro, saiba que o título não agradou a gregos e troianos – longe disso.

Depois, há um comentário que é bem explicito ao dizer que “narrativa da educação beneditina e jesuíta rasteira, autobiografia sofrível, é auto referencial. Nelson Mota é importante culturalmente, porém, o livro é indigente”. É o tipo de livro que só lendo para saber, né. 

4 – Wood Allen: a autobiografia (Wood Allen)

É um livro que foi muito esperado, foi muito polêmico e até mesmo poético. Nascido em família judia, Allen é uma história viva do cinema. O livro tem 406 páginas. Porém, pode ser que você não goste muito. Entenda isso.

 

As 10 autobiografias menos recomendadas para você ler
Foto: (reprodução/internet)

Nesse caso, a principal crítica que encontramos está no fato de que “é um livro maçante”. E o próprio leitor explica isso, dizendo que conhece a história do Wood, que é “genial”. Além de maçante, ele também diz que o livro tem “muitas alusões a pessoas desconhecidas”. 

Agora, não podemos ser injustos com você, a maioria das pessoas recomendam o livro. Só que se você conhecer muito da história do Allen pode ser que ache que o “livro é maçante”, como o autor que comentou acima. 

3 – Fome: uma autobiografia do meu corpo (Roxane Gay)

O livro é d e2017, tem um preço acessível de R$ 30 e fala sobre um relato pessoal da Roxane, que sofreu abuso sexual aos 12 anos e passou a usar o corpo como esconderijo. No entanto, há uma crítica sobre ele que merece atenção. 

As 10 autobiografias menos recomendadas para você ler
Foto: (reprodução/internet)

A verdade é que esse livro tem mais de 70% de aprovação dos leitores. Só que tem um comentário que chamou muito a nossa atenção porque a leitora, que diz que a obra é “horrível” fala que se sentiu enganada ao ler a descrição. Entenda. 

“O relato é só uma explosão verbal de um processo de cura e sem mudanças de perspectiva do início ao fim. Não passa a ideia de desenvolvimento da personagem, entre a adolescência e a vida adulta. É um livro para ficar entre os esquecidos”. 

2 – A menina da montanha (Tara Westover)

Livro de 2018, que conta sobre a trajetória de uma americana que pisou em uma sala de aula pela primeira vez aos 17 anos e vai até a conquista do doutorado em Cambridge. Parece bom e foi eleito o livro do pela Amazon. Mas…

As 10 autobiografias menos recomendadas para você ler
Foto: (reprodução/internet)

Esse é mais um caso curioso porque o livro teve quase 2 mil classificações por parte dos leitores. E mais de 70% aprovaram a obra. No entanto, uma pequena porcentagem traz críticas brandas quanto à densidade e motivação do livro.

Entre os comentários brasileiros que separamos aqui, você pode ver: “não consegui terminar a leitura”, “livro muito chato”, “a história não flui”, “muito cansativo”, “já vi melhores”, “a tradução é ruim”, “eu não recomendo”. 

1 – Just Getting Started (Justin Bieber)

E vamos fechar com uma biografia do Justin Bieber, que resolveu contar um pouco da sua vida nessa obra. O problema é que de 330 avaliações, uma pequena percentagem de 10% fez grandes reclamações, seja sobre o enredo, a narrativa ou mesmo sobre a vida do cantor. 

As 10 autobiografias menos recomendadas para você ler
Foto: (reprodução/internet)

Entre os comentários, está um que diz que “parece que foi escrito por um aluno do quinto ano de tão repetitivo e infantil que é. Estou na página 24 e parece que o livro não me agregou nada na vida. Horrível”. 

Como fizemos essa pesquisa

Não tem segredo, amigo. Esses livros só foram citados aqui, mesmo que você discorde, porque encontramos uma ou mais crítica sobre ele. E para isso, nós usamos o que é hoje um dos principais sites que faz a venda de livros pela internet, a Amazon.

Sendo assim, nessa plataforma, você vai poder encontrar cada um dos livros citados e vai ver também sobre a crítica que foi feita sobre ele. Aliás, esse site serve também para você pesquisar preços, ver comentários, as lendas, descobrir novas obras e muito mais. 

ANÚNCIO