Bolsonaro discursa na ONU – Confira os pontos principais

ANÚNCIO

Nesta terça-feira (22), o presidente da república Jair Bolsonaro, discursou na 75ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas. Em seu discurso, o governante defendeu a maneira como o Brasil está lidando com a questão ambiental e com a pandemia do coronavírus.

No cenário de aumento do desmatamento no Brasil, Bolsonaro falou no tradicional evento diante a pressão mundial. A mensagem do presidente foi filmada na semana passada, já que a ONU solicitou que todos os líderes mundiais gravassem os seus discursos.

ANÚNCIO

António Guterres, secretário-geral da ONU, abriu a assembleia. Os pontos principais de suas falas foram na necessidade da união internacional para o combate à pandemia da Covid-19, a critica ao nacionalismo e outras questões globais.

Bolsonaro discursa na ONU - Confira os pontos principais
Fonte: (Reprodução/Internet)

Auxílio emergencial como principal medida econômica

Bolsonaro foi o líder mundial que iniciou as falas no evento. O seu discurso abordou, principalmente, a situação da pandemia, o auxílio emergencial e o enfrentamento ao desmatamento.

Ao iniciar o discurso, o presidente lamentou por todas as mortes pela Covid-19. Ainda lembrou o pronunciamento oficial, no qual foi destacado a necessidade de lidar com o desemprego e o vírus. Bolsonaro colocou culpa na imprensa por um “pânico entre a população”.

ANÚNCIO

Jair disse que o Brasil implementou várias medidas econômicas, tais como o auxílio emergencial, a destinação de mais de 100 bilhões de dólares para a saúde e programas de ajuda a pequenas e micro negócios.

Economia durante a pandemia

Ainda na listagem de programas de recuperação da economia, Bolsonaro citou a ajuda de mais de 200 mil famílias indígenas, o investimento em 400 milhões de dólares para a produção da vacina de Oxford e um grande suporte hospitalar aos pacientes da doença.

O presidente afirmou que o Brasil está disposto a trabalhar no desenvolvimento de tecnologias de última linha, como a indústria 4.0, inteligência artificial, tecnologia 5G e nanotecnologia.

Preocupação ambiental – Amazônia e Pantanal

Bolsonaro ressaltou que o Brasil contribuiu na alimentação mundial, e citou o agronegócio como pujante, e respeitador da “melhor legislação ambiental do planeta”. O mandante afirmou que ele é vítima de uma campanha de desinformação sobre o Pantanal e a Amazônia.

Ao argumentar que a Amazônia é rica, Jair acusou instituições internacionais de fomentarem uma campanha interessada nos recursos da floresta. O presidente apresentou números, dentre eles o da liderança brasileira como o maior conservador de florestas tropicais.

O líder destacou que o Brasil é o maior produtor mundial de alimentos, e ainda consegue preservar 66% da vegetação nativa. Todos os destaques do país gerariam interesse de outras entidades, segundo Jair.

Desmatamento apresenta dificuldade para ser combatido 

Em defesa ao desmatamento, Bolsonaro disse que as florestas brasileiras são úmidas e não queimam no interior, e ainda afirmou que os incêndios são causados por índios e caboclos.

Jair falou que tem tolerância zero com crimes ambientais, e que todos os focos criminosos do país são combatidos com determinação e rigor. Ressaltou que a Região Amazônica é maior que a Europa Ocidental, por isso a dificuldade de controlar as irregularidades. 

Por fim, destacou que os incêndios do Pantanal também sofre com as mesmas questões. O presidente reiterou que a alta temperatura local e o acúmulo de massa orgânica gera as grandes queimadas.

Confira na íntegra o discurso de Jair Bolsonaro à ONU. 

ANÚNCIO