Como se proteger do coronavírus nos transportes públicos

ANÚNCIO

A pandemia do novo coronavírus gerou o ‘novo normal’. Os órgãos de saúde, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), recomendam que deslocamentos sejam feitos apenas quando necessário.

Uma pesquisa recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) afirmou que, 79,6% de pessoas estão trabalhando durante a pandemia. Entretanto, o instituto diz que apenas 8,8 milhões de trabalhadores estão no modo remoto. 

ANÚNCIO

Contudo, funcionários e pessoas que necessitam da mobilidade para situações excepcionais, precisam enfrentar o transporte público, que representa um lugar com grande potencial de transmissão da Covid-19.

Como se proteger do coronavírus nos transportes públicos
Fonte: (Reprodução/Internet)

Risco de contágio no transporte público é grande

O transporte público é um grande vetor do novo coronavírus. Os motivos são diversos. A priori, estes meios de transporte circulam todo dia e abriga diversas pessoas a todo tempo, portanto o fluxo de pessoas que vieram de lugares diferentes é constante.

Como outro risco está a falta de ventilação ou a insuficiência desta. Os ônibus possuem pequenas janelas que podem não funcionar totalmente na ventilação do ambiente. Por fim, está a impossibilidade de manter um distanciamento, visto que o transporte público suporta um grande número de pessoas. 

ANÚNCIO

A infectologista Ingrid Cotta, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, pontou que o dentro do transporte não é possível cumprir o distanciamento de um a dois metros. Outro ponto é a ventilação que se torna um problema pois não há tanta troca do ar.

Bernardo Meyer, coordenador do Observatório de Mobilidade Urbana da Universidade Federal de Santa Catarina falou sobre os riscos:

“O transporte público […], nós vamos observar que eles têm uma capacidade de contaminação muito grande, porque aglomeram pessoas vindas de diferentes localidades. Elas sentam, pegam nas coisas, conversam, falam ao celular, respiram”, explica Meyer.

Higienizar as mãos sempre é recomendado

Os principais cuidados, que foram primordialmente recomendados pela OMS, já são de grande ajuda. Não tocar nos olhos, nariz e boca, manter a distância sempre que for possível, limpar com álcool 70% as mãos e ao tocar qualquer objeto e o uso de máscara estão entre os mais básicos.

Em todos os tipos de transporte público é quase impossível de não tocar em superfícies. Nos ônibus, por exemplo, é necessário segurar nas barras de apoio para se manter de pé. O recomendado é que após tocar em qualquer coisa, procure higienizar a área na qual houve contato o mais rápido possível.

Caso sinta algum sintoma de Covid-19, procure imediatamente uma Unidade Básica de Saúde (UBS) ou hospital público mais próximo.

ANÚNCIO