Hotel robótico demite metade dos seus robôs

ANÚNCIO

Não é somente o Brasil que está passando por uma grande crise financeira, sendo que isso reflete diretamente no mercado de trabalho. No mundo todo, pessoas estão sendo demitidas e até mesmo robôs.

Engana-se quem pensa que apenas os humanos são afetados, isso mesmo: até mesmo os robôs sofreram com demissões recentes. O fato aconteceu no Japão, mais precisamente em um hotel, o primeiro do mundo a contar com robôs como funcionários.

ANÚNCIO
Hotel robótico demite metade dos seus robôs

O número assusta: 50% dos empregados robóticos foram aposentados, sendo necessário a contratação de mais humanos para o lugar deles.

Tentativa de inovação

O Business Model é um hotel no Japão que buscou ser um exemplo de inovação e tecnologia, com uma dose de futurismo, ao anunciar a sua nova equipe de funcionários, sendo 243 robôs.

A ideia é que eles tinham o objetivo de auxiliar os hóspedes e desempenhar as tarefas diárias do hotel, contando apenas com uma pequena supervisão de alguns humanos.

ANÚNCIO

Mas…

Após 1 ano com a experiência com os seus robôs como funcionários, os donos da rede de hotel chegaram à conclusão de que estavam perdendo clientes.

Isso porque no local não existia restaurante e lavanderias, pelo fato dos serviços serem dos robôs e os mesmos não prestarem um serviço de quarto adequado, constando apenas comidas através de máquinas automáticas.

Para que um robô arrumasse o quarto, o hóspede tinha que desembolsar 10 dólares e ainda não tinha nenhum frigobar no local, já que os robôs não conseguiam fazer uma contagem de itens.

Na questão do atendimento, os robôs também eram prejudicados quando recebiam perguntas turísticas, situação comum em hotéis de viagens.

No momento do check-in, os robôs não conseguiam fazer a atividade por completo, então era necessário que uma humana viesse finalizar o processo, tirando xerox de toda a documentação do hóspede, pois os robôs não conseguiam.

Na hora do carregamento das bagagens, os robôs até faziam a função, mas eles não trabalhavam na neve e nem na chuva e só conseguiam chegar em 24 dos 100 quartos que tinham no hotel.

No começo, o hotel até conseguiu atrair um bom número de clientes com a atração dos robôs, mas com o passar do tempo, as pessoas não queriam mais pagar 80 dólares, já que por esse valor conseguem bons hotéis com todos os serviços básicos disponíveis.

As demissões

Por todos esses motivos, os donos do hotel perceberam que o custo benefício não estava mais atrativo, visto que os clientes diminuíram e as manutenções dos robôs tinham que seguir normalmente.

Com isso, 50% dos funcionários robôs da empresa foram aposentados, sendo necessário uma contratação em massa de humanos para desempenhar as funções e com os robôs que restaram, eles passaram a ter atividades mais simples.

Com toda essa situação, fica claro que sim, os robôs são úteis, mas eles não estão prontos para tudo e sempre será necessário humanos por perto, seja para a manutenção ou auxilio.

ANÚNCIO