J.K Rowling é acusada novamente de transfobia em novo livro

ANÚNCIO

Após decepcionar seus fãs por comentários transfóbicos no Twitter, J.K Rowling, a autora da saga Harry Potter, foi acusada novamente por transfobia. Na segunda-feira (4), a escritora foi uns dos assuntos mais comentados do Twitter mundial. 

Rowling estava se preparando para lançar o seu novo livro “Troubled Blood” nesta terça-feira (15), no Reino Unido. O livro é o quinto volume da série de romances policiais que a escritora criou sob o pseudônimo de Robert Galbraith. 

ANÚNCIO

No romance de 900 páginas, o detetive Cormoran Strike está investigando o caso de um assassino em série (homem cis) que veste roupas femininas para assassinar mulheres cis. 

J.K Rowling é acusada novamente de transfobia em novo livro
Fonte: (Reprodução/Internet)

Conheça mais sobre o caso de JK Rowling no artigo a seguir.

Autoria recebe novamente críticas sobre o assunto

Depois que J.K Rowling insinuou com comentários transfóbicos dizendo que mulheres transexuais não podem ser consideradas mulheres, o seu novo livro foi uma brecha para receber várias críticas dos seus leitores. 

ANÚNCIO

“É uma antiga transfobia [que ela reproduz]. Rowling não liga para mulheres. Ela odeia pessoas trans e nos enxerga como homens predadores”, posicionou-se a ativista transexual Serena Daniari no Twitter. 

Em comentários de outros usuários do Twitter, os mesmos dizem que a moral é “nunca confie em um homem que se veste de mulher”. Os leitores da escritora, a maioria potterheads, lamentam sobre a moral da história do livro

J.K Rowling é acusada novamente de transfobia em novo livro
Fonte: (Reprodução/Internet)

Início da polêmica com o nome de J.K Rowling

A história começou depois que a escritora comentou sobre uma matéria intitulada de “pessoas que menstruam”. A autora de Harry Potter criticou o uso dos termos, dizendo que se “pessoas” fosse trocada por “mulheres” seria melhor. Porém, a matéria tinha o objetivo de ser inclusiva com homens trans

“Se sexo não é real, não existe atração entre pessoas do mesmo sexo. Se sexo não é real, a realidade vivida por mulheres ao redor do mundo é apagada. Conheço e amo pessoas trans, mas apagar o conceito de sexo remove a habilidade de muitos discutirem suas vidas de forma significativa. Não é ódio dizer a verdade”, disse J.K Rowling em seu Twitter. 

A partir disso, a autora de Harry Potter começou a tentar justificar sua posição, isto é, que pessoas trans não podem negar o seu sexo biológico, porque ela seria determinante para a sua experiência. Após apresentar a crítica, Rowling parece ter piorando a sua situação com outros comentários considerados desagradáveis.

ANÚNCIO