Tempestades históricas se formam no Atlântico e ameaçam os EUA

ANÚNCIO

A América do Norte e o Caribe sofrem periodicamente de intensas tempestades tropicais e furacões. Meteorologistas, neste período, começam a produzir estudos de como serão esses temporais.

Em 2020, cinco ciclones tropicais estão ativos no oceano Atlântico. A mesma situação só aconteceu uma vez na história, em 1971, quando outros levantamentos apontaram a mesma quantidade tempestades tropicais.

ANÚNCIO

De acordo com o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC), os temporais formados representam o furacão Sally, furacão Paulette, as tempestades tropicais Vicky e Teddy e a depressão tropical René, esta última restará por pouco tempo.

Tempestades históricas se formam no Atlântico e ameaçam os EUA
Fonte: (Reprodução/Internet)

Aquecimento global deve aumentar os furacões

O furacão Paulette se encontra nas Bahamas, enquanto o Sally vai passar entre os Estados de Louisiana e Mississippi, nos Estados Unidos. A grande quantidade de tempestades, segundo Jim Dale, da British Weather Services, se deve a soma de vários fatores.

“A influência da ‘La Niña’, a corrente no Pacífico e, claro, o aumento das temperaturas oceânicas que afetou algumas áreas do Atlântico, foram capazes de influenciar esse fenômeno histórico”, explica Jim Dale.

ANÚNCIO

Geralmente, os ciclones tropicais se tornam furacões ou tempestades tropicais. Segundo Dale, para que isso aconteça, fatores como o aquecimento da água, as áreas de baixa pressão em águas quentes, a direção dos ventos, a absorção dos ventos quentes e frios que geram velocidade são incisivos.

O profissional ainda verifica que o aquecimento global é um grande motivo para a ocorrência maior de furacões. Dale ainda exemplificou com as florestas, que a cada ano tem tido maiores queimadas, e disse que o mesmo pode acontecer com os ciclones.

NHC diz que os furacões podem causar perigo às pessoas

Os cinco ciclones podem seguir direções diferentes das previstas. O NHC afirmou que, o furacão Paulette que vai passar pelas Bahamas, tem potencial para colocar a vida das pessoas em perigo

Segundo a instituição, as marés produzidas pelo furacão são intensas e estão afetando as áreas das Ilhas Leewars, Bahamas, Grandes Antilhas e dos Estados Unidos. Em destaque dos efeitos do furacão Sally, o NHC destacou que é necessário uma observação cuidadosa ao efeito nos ventos da região atingida.

O NHC tranquilizou o público ao informar que as tempestades tropicais Vicky e Teddy e a depressão tropical René, não causarão quaisquer perigos por onde passarem. 

ANÚNCIO