Covid-19: Europa pode viver maior índice de mortalidade desde o início da pandemia

ANÚNCIO

A Europa tem registrado mais contágios por semana, em comparação ao primeiro pico de Covid-19 no semestre anterior, e segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o continente tende a viver um maior índice de mortalidade comparado ao pico anterior. 

Autoridades de saúde ainda não tem certeza se estão no segundo pico da pandemia ou se na verdade é a segunda fase do pico anterior. Essa dúvida terminológica foi apresentada em uma intervenção diante dos eurodeputados no início do mês de setembro por Andrea Ammon, diretora do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC). 

ANÚNCIO

Com as manifestações diárias de contágio, os alertas pelo continente começaram a crescer. Apesar que dentro da Europa, uma metade é oposta a outra e países como a Alemanha, Itália e Suécia permanecem apresentando taxas de contágio baixas. 

Covid-19: Europa pode viver maior índice de mortalidade desde o início da pandemia
Fonte: (Reprodução/Internet) 

Dados da OMS preocupam autoridades e população europeia 

“Estamos diante de uma situação muito grave. Os novos casos semanais na Europa já superam os registrados durante o primeiro pico da pandemia. Na semana passada foram contabilizados mais de 300.000 infectados”, alertou Hans Kluge, diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) na Europa nesta quinta (17) segundo o portal El País. 

Os dados divulgados pela organização dispõe que mais da metade dos países europeus registraram um aumento, superiores a 10% no número de contágios nas últimas duas semanas. O Reino Unido contabilizou cerca de 4.000 novos casos nas últimas 24 horas, o maior número desde 8 de maio. 

ANÚNCIO

“Não se pode comparar as duas ondas porque mais testes estão sendo feitos agora. Mas as hospitalizações na Espanha e na França estão começando a aumentar novamente”, aponta epidemiologista belga Marc Van Ranst ao portal El País. 

Enquanto isso, a França, com quase 10.000 contágios por dia, ultrapassou os 400.000, já a República Tcheca, Espanha e a Ucrânia bateram na quinta-feira seus respectivos recordes de contágios detectados em um dia.

A proporção desigual no número de contágios na Europa 

Em contrapartida ao aumento em alguns lugares do continente, em outros, como a Alemanha e a Itália as taxas de contágio ainda são baixas. Posteriormente vem a Suécia, que está conseguindo evitar o retorno das turbulências sanitárias. 

O país tem registrado seu menor número de contágios desde março, e as taxa de mortalidade despencou para uma média de zero morte esta semana. Os dados da agência de saúde sueca mostram que apenas 1,2% dos 120.000 testes realizados deram positivo.

ANÚNCIO