Os 14 Natais mais bizarros do mundo são esses aqui

O que você espera de um Natal? Comida, festa, comemoração, abraços, presentes? Tudo bem, em boa parte do mundo cristão isso é verdade. Porém, você já ouviu falar em árvores de bananas ao invés de pinheiros? E sobre monstros que ajudam São Nicolau?

ANÚNCIO

É isso mesmo: há muitas boas histórias, algumas verídicas e outras não, sobre essa época do ano que é atrativa para boa parte do planeta. Abaixo, a gente encontrou 14 delas que você tem que conhecer.

Foto: (reprodução/internet)

14 – Caganer (Espanha)

Sim, o nome tem a ver com isso mesmo o que você está pensando: caganer é algo como “cagão”. A palavra de origem catalã indica a figura de uma pessoa que está defecando em presépios. E você pode achar isso um desrespeito, mas não é, viu. 

Foto: (reprodução/internet)

A tradição da Catalunha e da Comunidade Valenciana é símbolo de boa sorte e de prosperidade. E isso tem a sua própria explicação: adubação do solo para o ano que vai chegar. Por isso, é comum ver os caganers em vários presépios nas zonas da Espanha e de Portugal. 

13 – Espíritos (Portugal)

E já que comentamos sobre Portugal, que tal a gente falar da cultura de lá? Se você não curte assuntos macabros melhor nem ler esse tópico. Isso porque os portugueses têm o costume de colocar lugares extras na mesa e servir comidas para os espíritos, de pessoas que morreram.

Foto: (reprodução/internet)

E isso tem explicação para eles: trará sorte no próximo ano. Agora, como é que eles fazem para servir comida aos espíritos ninguém sabe dizer com muita exatidão. Mas, se traz sorte para que não seguir esse costume, não é?

12 – Pirâmide de Frutas (Itália)

A Itália vai aparecer aqui no nosso texto como sendo aquele país todo certinho, sustentável e politicamente correto. Isso porque por lá eles substituem as árvores de Natal por pirâmides decoradas com frutas e isso também há um motivo para acontecer.

Foto: (reprodução/internet)

Aliás, dois motivos. O primeiro é que evita o corte de árvores. Depois, vem o fato de que os convidados podem comer as frutas que estão ali. Interessante, não é mesmo? Está aí um dos melhores que você verá nesse texto para ser seguido. 

11 – Mari Lwyd (País de Gales)

Esse é um costume muito popular encontrado no País de Gales. A ideia é criar um cavalo de pau feito a partir de um crânio de um cavalo. Ele fica montado em uma vara e é carregado por um indivíduo escondido em um saco. É uma criatura meio macabra, para sermos sinceros. 

Foto: (reprodução/internet)

O costume surgiu em 1800, conforme historiadores. Assim, o Mari Lwyd é uma tradição que acontece na época do Natal e era cultivada por grupo de homens que acompanhavam o cavalo em viagens. Havia um líder e personagens vestidos, sendo Punch e Judy. 

Com o Mari Lwyd, os homens pediriam a entrada nas casas das pessoas por meio de música e esperava-se que os chefes das famílias não negassem devido ao elemento criado. Para outros estudiosos, Mari Lwyd vem de algo como “Santa Maria”, sendo referência à Jesus. 

10 – Zwarte Piet (Holanda)

Na tradução, você vai ver algo como “Pedro, o Negro”. E pode até julgar esse ato como racista. Mas, a gente explica. Ele é um personagem da festa de São Nicolau (a Sinterklaas), sendo um pajem que ajuda o santo a distribuir presentes. 

Foto: (reprodução/internet)

Assim, a cada ano esses personagens chegam a costa holandesa em um barco a vapor, com procedentes da Espanha. Então, repartem brinquedos ao menos que se portam bem, como faz o Papai Noel. O trajeto é todo renascentista, com cabelos encaracolados e lábios vermelhos.

A origem não se sabe ao certo. Porém, acredita-se que tenha sido inspirado em um demônio que sequestrava meninos e que foi derrotado por São Nicolau, se convertendo em seu assistente. Por isso, a ideia dos meninos que se comportam bem.

9 – Krampus (Áustria)

Essa é uma criatura mitológica bastante assustadora. Essa história também tem o viés do que falamos acima sobre São Nicolau. Sendo assim, é uma criatura que acompanha o santo durante o Natal e é representado como se fosse um demônio. 

Foto: (reprodução/internet)

De forma tradicional, alguns garotos se vestem de krampus durante as primeiras semanas de dezembro e vagam pelas ruas assustando as crianças. As fantasias mais atuais são formadas por máscaras de madeira, pele de ovelha e chifres. 

Em algumas partes da Alemanha também tem a ideia dos Wilde Mann, que seriam homens selvagens. Ele é exatamente como o krampus, porém, sem os chifres. Logo, também assusta crianças com correntes e sinos enferrujados. 

8 – Presentes (Sérvia)

Dar e receber presentes no Natal é algo bastante comum em várias partes do mundo, concorda? Porém, na Sérvia esse conto é um pouco diferente. Por lá, as crianças amarram os pés das mães e perguntam o que elas dariam para serem libertadas.

Foto: (reprodução/internet)

Assim, elas devem dar presentes aos filhos. Isso acontece com 15 dias antes do Natal. Já faltando 1 semana ou na semana do Natal, eles fazem isso com os pais, ganhando novos presentes. É um jeito meio sinistro de ganhar presentes, mas funciona, né. 

7 – Picles (Alemanha)

O assunto de cima foi sobre presentes. Certo? Agora, vamos considerar uma coisa. Imagine que uma criança encontre um picles escondido na árvore de Natal. Seria esse o sinal de um presente? Sim, é bem por aí.

Foto: (reprodução/internet)

A lenda diz que a criança que encontra um picles na árvores de Natal ganha um presente extra, o que traz também muita sorte para o próximo ano. Portanto, não é raro encontrar crianças em busca do picles perdido no Natal, viu. 

6 – Kiviak (Groelândia)

E claro que a gente não poderia deixar de falar de comidas exóticas nesse texto. Para isso, escolhemos a Groelândia, que é um país muito bacana e que tem se mostrado nos últimos. Ao conhecer a cultura deles, descobrimos sobre o Kiviak.

Foto: (reprodução/internet)

Esse é um prato típico de Natal, feito com carne crua de alca. A alca é uma ave de caça aquática. Ela é enterrada por vários meses e coberta com a pele de foca. Assim, é colocada em baixo de uma pedra até que se decompõe. E aí, teria coragem de experimentar?

5 – Yule (Islândia)

Na Islândia tem um gato natalino que causa muito medo nas crianças, é o Yule. O folclore de lá conta que esse gato, que é um monstro, se esconde na neve e devora as crianças que não ganharam roupas novas no Natal. 

Foto: (reprodução/internet)

Mas, para ganhar roupas novas há uma exigência: terminar todos os afazeres. Ou seja, é preciso estudar muito e terminar a lição de casa para ganhar as roupas e se salvar do gato Yule. Até mesmo porque ele fica bisbilhotando todo mundo das janelas das casas. 

4 – Vassouras (Noruega)

A ideia é esconder vassouras na Noruega durante o Natal. E você já deve imaginar o motivo disso, né: para que as bruxas e os espíritos malignos não possam sair voando por aí, ao redor das casas, nesses dias tão felizes. 

Foto: (reprodução/internet)

Agora, aqui já vale mencionar uma curiosidade: você sabia que a mitologia conta que elas faziam suas instruções do diabo em caldeirões usando o cabo da vassoura para misturar? Assim, acredita-se que alguma porção tenha feito com que as vassouras voassem. 

Mas, de fato, isso não é nada comprovado, está bem? Já Rubem Alves, um autor bastante cômico, disse que as vassouras tinham pelos macios e eram usadas para umedecer as mucosas das regiões entre as pernas. O que também, por sua vez, não tem comprovação. 

3 – Cartão Vermelho (Japão)

Esse é um costume que não é tão sinistro assim. Porém, se você for para o Japão e não saber disso pode ser que cometa uma grande gafe. Por lá, as notas de falecimento geralmente são escritas em cartões vermelhos.

Foto: (reprodução/internet)

Portanto, enviar um cartão de Natal nessa cor é algo, no mínimo, assustador. Logo, escolha outra cor, como branca, amarela, azul. Mas, o vermelho, deixe para outra ocasião, ok?

2 – Balões (Colômbia)

Esse é outro costume que não tem nada de assustador ou exótico, porém, é uma questão cultural que você deve considerar. Estamos falando da Colômbia, na América do Sul. Aliás, aqui está outro exemplo a ser seguido.

Foto: (reprodução/internet)

Considere que por lá, durante a noite de Natal, a população ficava entusiasmada em soltar balões. Porém, com o agravante de incêndios, a prática foi proibida. Portanto, nunca é demais saber disso se você vai passar o Natal na Colômbia, né.

1 – Bananeiras (Índia)

Outra curiosidade que você pode saber é que na Índia apenas 2,5% das pessoas são cristãs. Mas, isso dá algo como 25 milhões de pessoas. Todas elas comemoram o Natal de modo parecido com os outros países cristãos. Mas, tem algo que muda.

Foto: (reprodução/internet)

Como lá não tem pinheiros para enfeitar a ocasião, os indianos cristãos que comemoram o Natal usam árvores de banana ou de mangas. 

E você conhece outro Natal com fatos bizarros?

Se você também conhece algum Natal diferente ao redor do mundo, comente abaixo. É muito bacana ver como cada cultura se relacionada com esse evento que é sim cristão, mas acabou fazendo parte da vida de muitos países, mesmo aqueles que não são inteiramente cristãos.

Se você conhece outra história engraçada, cômica, bizarra ou estranha, conte!

ANÚNCIO